sábado, 18 de outubro de 2014

Essa turbulência aqui dentro. Tantos sentimentos intensos. Tanta confusão. Tanta vontade de não sei o que. Tantos gritos de socorro. Tantos pensamentos dando nós. 
Quem me observa por fora vê apenas o meu silêncio. Eles não veem que por dentro estou vivendo uma guerra.


quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Tento a todo momento saciar a mim mesmo. Não depender de ninguém. Ser inteira.
 Mas, meu Deus, como me faz falta um amigo que me conheça. Um amigo que saiba quando meu sorriso não está sendo verdadeiro. Um amigo que perceba quando estou precisando de um chão... meu Deus, eu estou sem chão.
Como me faz falta um amigo que me desminta quando eu digo que estou bem, que ele diga: "Eu sei que não está".
 Como me faz falta alguém que esteja ao meu lado por inteiro, não uma parte, não um amigo de momentos.
Como me faz falta um amigo que entenda as tais promessas que há nas entrelinhas das amizades. Que entenda a fidelidade.
Como me faz falta alguém que eu possa confiar de olhos fechados. Alguém que não diga, mas que demonstre que não vai me faltar.
Como me faz falta poder ser essa amiga para alguém.

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Ah! se eu pudesse viver para sempre aqui. No meu cantinho. No meu mundinho. No meu silêncio. 
Ah! Se eu pudesse não ter que conviver com outros. Ter que ver meu mundo misturado com outros. Ter que viver com pessoas que eu sei que a qualquer momento pode fazer outra ferida em mim. Eles não veem quantas feridas ainda tenho abertas. Eles não veem como estou frágil, como qualquer esbarrão é o suficiente para fazer meus machucados arderem. Eles não veem o quanto tudo me dói.
Por isso, continuo repetindo: Ah! Se eu pudesse viver para sempre somente em mim.


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Sempre fui muito intensa nos meus sentimentos. Fui amiga por inteiro, confiei por inteiro, me doei por inteiro, entrei em cada relação por inteiro.
Cada decepção roubou um pouco de mim... hoje não consigo mais ser inteira, mesmo que eu queira, eu não posso. Cada lágrima esvaiu minha ingenuidade em acreditar nas pessoas. Tirou minha confiança nas relações.
Hoje, vivo de metades, vivo de medo, vivo de tentar curar feridas e evitar que novas sejam feitas.


sábado, 20 de setembro de 2014

Sei lá...
Apenas parece que abriram a torneira da minha alma.

Não entendo por que eu estar no meu mundo particular incomoda tanto as pessoas...
"Você não pode viver solitária." "Você tem que parar de afastar as pessoas." "Você tem que se abrir para o mundo." Nem sei quantas vezes já me falaram isso... Tanto que as vezes começo a me abrir mais, começo a ceder...
Porém, as pessoas não tem noção do que estão me pedindo. Posso me abrir, mas poucos terão a persistência de permanecer na minha vida.
Por isso prefiro estar sozinha por opção a estar sozinha porque mais uma vez desistiram de mim.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Estou cansada de tantas metades...
Preciso de alguém por INTEIRO na minha vida.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Ressaca Emocional...
Quando suas emoções sobem e caem rápido demais,
Com intensidade demais,
Com nostalgia demais, 
Com saudades demais...


sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Já pisei tantas vezes em falso. Já pisei tantas vezes em abismos pensando estar pisando em terra firme. Já perdi tantas vezes meu chão. Que hoje no mais leve balançar da ponte, no mais suave tremor, no mais escorregadio chão, no mais suave soprar do vento: Eu me assusto. Eu retrocedo. Eu me escondo no meu castelo de pedras. Eu me agarro às minhas certezas.
E quando essas certezas se mostram minimamente duvidosas, meu medo volta a agir.
O meu mundo se abala. A confusão dentro de mim fica parecendo um trem desgovernado no meio da multidão. Fica difícil confiar em algo ou alguém. A solução mais confiável é sumir. É desaparecer desse mundo complicado. Mas é impossível desaparecer quando o mundo complicado está dentro de você. É difícil confiar em alguém quando até suas certezas te decepcionam.


quinta-feira, 21 de agosto de 2014

domingo, 17 de agosto de 2014

Sabe quando a mágoa chega ao seu coração, mas você não se sente no direito de ficar magoada, porque quem criou a situação foi você? Pois é... me sinto assim. Não consigo evitar estar magoada. Mas também me sinto boba por me sentir assim. Me sinto boba por não aprender. 
Eu já disse para mim mesmo milhões de vezes para não depender mais de ninguém. Já disse milhões de vezes que eu devo enfrentar os meus problemas sozinha. Mas... sei lá, acho que é inevitável eu querer contar com alguém nessas horas. Alguém que se importe de verdade.
E não posso proteger meu coração da decepção. Da decepção de se dar conta que aquela pessoa que achamos que podíamos contar não se importa. Enfim...

"Apenas engulo em seco. 

 Faço que sim e sorrio. 
Um pé diante do outro. 
 Estou bem, obrigada por não perguntar."
- Vinte Garotos no Verão

sábado, 9 de agosto de 2014

Carta para o futuro...

Hoje finalmente escrevi uma carta para a Rosi do futuro. Irei receber em 9 de agosto de 2019. Estou realmente ansiosa para recebê-la. Eu ia postar a carta aqui, cheguei a salvá-la no rascunho daqui do blog. Mas quando entramos no site que escrevemos a carta, eles não deixam a gente lê-la, porque diz que vamos estar traindo e invadindo a privacidade do futuro. Então acho que também não é certo eu colocá-la aqui.
Enfim, só o que resta é esperar 5 anos para eu poder reler e ver como a futura Rosi irá receber essa carta... com tristeza ou alegria? Espero que com alegria. Espero do fundo do coração. ♥




domingo, 27 de julho de 2014

Palavras...

Como simples letras amontoadas podem exercer tanto poder sobre a vida de uma pessoa?! Seja lendo ou as escrevendo.
Lendo, tem o poder de te transportar para outro mundo, outras vidas, te trazer emoções incontroláveis, sentimentos inexplicáveis...
Escrevendo, tem o poder te trazer alívio, de descrever emoções, de criar vidas, de mudar histórias... 
Ditas, são frágeis e perigosas... tem o poder de curar e de matar.
Palavras. Sou apaixonada por elas. Porém, elas precisam ser usadas e interpretadas com cautela, elas também tem seus segredos, suas entrelinhas. Ah! As entrelinhas... quantas coisas elas guardam. Nem todos sabem as interpretar. Nem sempre as pessoas sabem usá-las, nem sempre as pessoas se dão conta do poder que tem na língua e nas mãos. Nem sempre as pessoas se dão conta da magia das palavras.



segunda-feira, 21 de julho de 2014

Meu mundo...

Ah! Meu mundo. Meu e somente meu. Ninguém entra, ninguém toca, ninguém vê. Quando sinto que alguém quer invadi-lo eu ergo muros, coloco cercas. É meu habitat particular. Porém, algumas poucas vezes, eu dou pequenos fragmentos desse meu mundo para alguém... eu o dou de forma discreta, o dou como daria algo muito frágil. Mas nem sempre as pessoas percebem a importância daquele momento. Nem sempre percebem que estou dando algo especial para mim. Nem sempre dão valor àquilo que é TUDO para mim. Então eu tomo. Pego de volta aquilo que eu estava prestes a dar. Tranco as portas novamente. O mundo é meu. E se não soube dar valor ao pouco que dei, então não merece conhecer o muito que poderia dar. Não merece fazer parte do meu mundo. O meu mundo tão MEU.


domingo, 20 de julho de 2014

Amigos!

Eles não me decepcionaram. Valeu a pena esperar. ♡

"Os laços que nos unem as vezes são impossíveis de explicar. Eles nos conectam, alguns laços desafiam a distância, o tempo e a lógica. Porque alguns laços simplesmente estão destinados a existir." 


Dia do "Amigo"

Dia totalmente estranho... Hoje se comemora o Dia do Amigo, dia que sempre foi esperado e comemorado por mim. Dia que eu dedicava para homenagear aqueles que sempre foram TUDO para mim.
Desde que me entendo por gente sempre tive uma amiga do meu lado, para ser mais clara, desde os 5 anos, que é a idade que mais me lembro... a Vanessa sempre estava comigo. Passado o tempo, não importa quando ou onde, sempre me dediquei às minhas amizades. Tinha melhor amiga em casa, na escola e na igreja...
Cheguei na adolescência e essa minha dedicação para alguma amizade se tornou mais forte, sempre soube dentro de mim que era um tesouro ao qual eu teria que cuidar e que nem todos tinham aquele privilégio de ter um amigo ao seu lado.
Me decepcionei... como me decepcionei. Me machuquei e prometi pra mim mesmo que nunca mais confiaria em alguém para chamar de amiga. Porém, minha natureza é ser amiga. E lá ia eu abrir meu coração para uma nova amizade, e me dedicar por anos e ver a história se repetir e me decepcionar novamente. Lá vai eu prometer novamente não confiar em mais ninguém e me ver quebrando novamente a promessa.
Não me arrependo, não, nem por um minuto... dói relembrar, mas valeu cada minuto. Meus amigos sempre foram meu chão, meu consolo, não conseguiria superar muitas coisas se não fossem por eles. Ajudá-los era o que me dava força. Por esse motivo o Dia dos Amigos sempre foi tão importante para mim.
Mas nesse ano tudo está tão estranho... tenho amigos, claro, mas não tenho mais uma melhor amiga, aquela em que posso confiar todos meus pensamentos, aquela que eu posso dividir meus momentos, meu dia-a-dia. Amo meus amigos atuais... continuam sendo meus tesouros. Porém, não são aqueles que podem ser meu chão... não sei quando eles vem ou quando vão se ausentar. Tem a vida deles para cuidarem e a minha vida é apenas para alguns momentos. Talvez esse ano, finalmente eu tenha conseguido manter minha promessa de não abrir meu coração e não confiar tão cegamente em alguém.
Nesse ano resolvi que iria esperar. Esperar para ver quem realmente quer minha amizade. Tudo está confuso e esperar foi a solução que encontrei. Nesse ano resolvi que não iria comemorar, não escreveria para ninguém... isso me doeu, como doeu. Com toda certeza doeu mais em mim. Talvez eles nem tenham se dado conta da minha falta nesse dia.
Tiveram uns poucos que não deixaram de pelo menos mandar um: "Feliz Dia do Amigo", esses eu não deixei de responder... Mas...
As entrelinhas desse dia está acabando comigo, sabe? Mais uma data especial se tornou triste para mim. As palavras estão engasgadas na minha garganta. Os "Por quês?" não deixam de surgir...


domingo, 6 de julho de 2014

Tenho tantas coisas pra dizer
Tenho tantos versos para escrever
Fiz uma canção de amor pra cantar pra Ti
Tenho tantas notas pra tocar
Um poema pra Te declarar
Mas sabe, Deus...

É, Hoje a noite foi fria, o vento tentou me levar
Angústia me feriu, a dor mais forte do que eu
Tentou calar a minha voz, tentou roubar Tua canção
E sufocar adoração, que é só pra Ti, e mais ninguém

Eu só queria levantar as minhas mãos e Te adorar
Deixar a lágrima rolar, deixar a lágrima rolar...

- Bruna Karla


quarta-feira, 25 de junho de 2014

Felizes são aqueles que me conheceram na minha inocência. Que me conheceram quando eu confiava com todo meu ser fácil demais, rápido demais. Foram eles que começaram a me transformar... Eles deram o indício de como eu estava errada, de como esse mundo não é tão colorido.
Fui quebrada uma vez, me reconstruí... Fui quebrada mais uma vez, me reconstruí novamente, com um pouco mais de dificuldade, mas me reconstruí... Fui quebrada outra e mais outras vezes, em cada uma dessas vezes um pedacinho meu ficava perdido nessas reconstruções, até eu estar com muitos buracos abertos, reconstruções cada vez mais imperfeitas. 
Hoje não resta muito de mim, e hoje já não confio totalmente. Sei que às vezes acabo sendo injusta com as pessoas sinceras que querem estar ao meu lado por inteiro. Mas como eu posso me doar novamente? Como confiar e se abrir quando todas as vezes que você acreditou ser de verdade, era apenas mais uma armadilha para fazer você cair novamente?
Não aguento mais nada... Estou frágil, todas essas reconstruções fizeram com que eu me tornasse imperfeita... Hoje apenas um esbarrão é o suficiente para me desmoronar. Os meus cacos não aguentam mais nada.
Então não me culpe se já não me doo, se já não me entrego... Eu simplesmente não consigo. É minha autodefesa... 
Infelizmente, os atuais, ficaram com os restos de mim. 


segunda-feira, 23 de junho de 2014

Lendo uma parte de HP agora me bateu uma dor tão forte... aquela dor que me sufoca e só começa a aliviar quando eu coloco em palavras.
Mais uma vez a dor da sua perda me bateu como a um punhal no coração... 
No livro se passava a parte que todos estão ao lado do HP em um momento difícil e lhe dão uma poção para ele "dormir sem sonhar"... E mais uma vez começo a me questionar porque foi que eu me fiz de forte? Era para eu ter deixado as pessoas cuidarem de mim... era para eu ter deixado eles perceberem como não havia um pedaço inteiro dentro de mim, era para eles terem visto meus cacos... Talvez eu tivesse me curado, haveria cicatrizes, mas elas seriam cicatrizes e não machucados tão inflamados como esses de agora. 
Aqueles gritos da minha irmã... hoje eu compreendo. E hoje eles me assombram, o que não acontecia quando eu era pequena demais para entender o que eles significavam. Era para eles terem dado a poção de "dormir sem sonhar" para ela... Hoje eu não sei o estrago que isso causou nela e tenho medo de perguntar. Não sei lidar com a minha dor... não sei se saberei lidar com a dor dela também. Na verdade, sei que a dor dela vai me atingir bem mais que a minha... não vou saber sobreviver sabendo da situação emocional da minha irmã. Sei que é algo que vai me assombrar para sempre. No momento, prefiro me agarrar ao fato dela ser bem mais forte que eu, prefiro me agarrar à ideia de que ela tem mais estrutura que eu.
Enfim... me desculpa mais uma vez. Não consigo não me sentir culpada toda vez que tenho essa crise de choro e sufocamento. Quero o seu bem e me mata só de imaginar que eu lhe causo algum mal em não ter superado.
Eu te amo... e como não me sentir mais sensibilizada agora que não estará aqui para ver a nossa pequena Jessica realizar o seu sonho? Sei que isso a atinge... e isso me mata mais um pouco. Enfim... te amo, te amo, te amo. Mais que a mim. ♥

sábado, 21 de junho de 2014

Já vi fogo e terremotos
Vento forte que passou
Já vivi tantos perigos
Mas tua voz me acalmou...
Tu dás ordem às estrelas
E ao mar os seus limites
Eu me sinto tão seguro
No teu colo, ó, altíssimo ♪


quinta-feira, 19 de junho de 2014

"Se a graça é um oceano, estamos afogando... 
O céu se une à terra como um beijo apaixonado 
Meu coração dispara em meu peito acelerado 
Não tenho tempo pra perder com ressentimentos 
Quando penso que Ele ME AMA." ♡


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Fico encantada em perceber o quanto Meu Deus cuida de mim...
Como Ele sempre coloca as coisas certas,
nos momentos certos, nos lugares certos...
Eu sei que eu não mereço tanto, sou grata pela Sua graça, Papaizinho.
Obrigada por me dar forças.
Obrigada por me ajudar a levantar cada vez que eu caio. 
Obrigada por não me deixar desanimar por muito tempo.
Obrigada por me fazer acreditar.
Obrigada por me permitir sonhar.
Obrigada por sempre estar ao meu lado. 
Obrigada simplesmente por não me deixar desistir.


quarta-feira, 28 de maio de 2014

Discretamente, enviei sinais de socorro aos amigos. Ninguém ajudou. Me virei sozinho. Isso me endureceu um pouco mais. Não foi só você, não. Foram também pessoas até mais íntimas, me virei sozinho com enormes dificuldades. Não me lamuriei. Mas preciso que as pessoas saibam que isso doeu — exatamente porque algumas destas pessoas importam para mim.
— Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Você tem as palavras para mudar uma nação
Mas está mordendo sua língua
Você passou um tempo da vida preso no silêncio
Com medo de dizer alguma coisa errada
Se ninguém te ouve, como vamos aprender a sua canção?
Então vamos lá, vamos lá
Vamos lá, vamos lá...
Você tem um coração tão barulhento quanto leões
Então, por que deixa sua voz ser domesticada?
Amor, estamos um pouco diferentes
Não há necessidade de se envergonhar
Você tem a luz para combater as sombras
Então pare de esconder isso ♪


domingo, 25 de maio de 2014

"[...]
Adoro quem me inspira a escrita,
mas amo quem me deixa sem palavras.

Adoro quem me entende,
mas amo quem fica ao meu lado mesmo sem me entender.

Adoro quem tem paciência para me ouvir,
mas amo quem me escuta quando eu não falo.

Adoro quem faz o que eu quero,
mas amo quem faz o que eu nem sabia que queria até ser feito."

- Carina Destempero


"Adaptei-me a chorar lágrimas invisíveis".
- Faah Bastos

Não é fácil me amar, não é fácil manter-se ao meu lado... tem que me querer muito, tem que me amar com todas as forças...
Eu afasto as pessoas, eu tenho dificuldade em deixar as pessoas se aproximarem demais, eu tenho dificuldade em confiar que não irão me abandonar... 
Basta uma palavra mal colocada, basta uma ação impensada, basta uma faísca de ciúmes para eu abrir mão, completamente. 
É minha autodefesa agindo, é meu medo de sofrer agindo, é meu muro se reconstruindo...
Se alguém quiser me amar tem que ter em mente que eu não sou fácil, tem que ter em mente que haverá momentos em que terá que lutar para se manter por perto, tem que ter em mente que terá dias que a única coisa que eu vou querer é ficar em silêncio, ficar no meu mundo interior. Mas que ao mesmo tempo em que eu quero ficar sozinha, eu estou querendo alguém que não me deixe sozinha. Complicado, eu sei.
Não acho justo eu exigir isso de alguém, não acho justo eu cobrar que lutem por mim sendo que eu sei que eu não irei lutar.
Então, siga meu conselho: Mantenha-se longe de mim, mantenha distância, não tente começar algo que irá ferir a ambos. Não derrube meu muro se você não tiver a intenção de aceitar a carga que virá junto comigo.


domingo, 18 de maio de 2014

Um passo de cada vez... vamos, você consegue, faça um pouco mais de força... com cuidado, devagar, a qualquer momento essa ponte pode desabar... 
Mais um passo, agora outro... Não precisa pressa, apenas dê um passo atrás do outro...


Se você estivesse aqui, hoje seria seu aniversário... e claro que todas aquelas perguntas voltam para a minha cabeça. Queria ser capaz de pensar na senhora sem dor... 
Tudo isso me sufoca... tanto que nem te escrever eu consigo... Tenho tantas coisas que queria dizer, mas não consigo... Enfim, hoje só quero deixar registrado:
Eu te amo, mãe!
I miss you... 


Não fui feita para esse mundo, não fui feita para esse lugar, não me encaixo nesse espaço...
Eu sobreviverei?




sábado, 17 de maio de 2014

Mais uma vez eu sinto que ninguém me conhece de fato... ninguém enxerga o que eu preciso. Não preciso de muito, não mesmo... Não preciso que construam castelos, eu quero coisas simples. Quero que respeitem quem eu sou, que não tentem me mudar... não precisa me aceitar, só não tente me mudar. Ninguém sabe o que é que me mantem em pé. As vezes o que as pessoas jugam ser meu defeito, meu problema, é exatamente o que me dá forças, é o que me ajuda a sobreviver...
Não precisa me aceitar, só deixa eu ser quem sou... 
Sinto muito decepcioná-los, mas não sou perfeita.





Por um momento eu quase me perdi de mim... Mas como sempre Ele veio em meu socorro, me fazendo erguer a cabeça, fazendo eu me lembrar de quem eu sou, fazendo eu ter minhas forças renovadas, fazendo eu dar um passo atrás do outro...
Como eu pude dizer que não tenho alguém para ser minha coluna? Como pude esquecer que Ele sempre foi minha estrutura? Ele não precisa de palavras; Ele não precisa insistir para que eu diga quais são os meus problemas; Ele entende as minha lágrimas, os meus gemidos, os meus soluços; Ele vê a situação do meu coração; Ele vê quando estou chegando ao meu limite; É quando chego no meu limite que Ele entra em ação; É quando não existe mais forças em mim que Ele vem e me carrega no colo.



"Minha carne é um furacão
Minha vida é um barquinho buscando direção
Descansa em minha alma
E acalma a tempestade que agita o meu coração
[...]
O barulho do mar vem pra me confundir
Oh, pai não deixe as ondas
Minha fé diminuir
Perdoa se pensei que em meio ao teu silêncio
não estivesse aqui."

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Aquela sensação mista de precisar muito desabafar, de precisar de alguém ao seu lado sendo seu chão, sendo sua coluna para você não desabar. E ao mesmo tempo não querer falar com ninguém, não querer preocupar ninguém, você querer mostrar que está tudo bem...
Aquela confusão de nem saber o que falar, porque nem você sabe qual é o problema. Não sabe nem se existe um problema principal. É uma mistura de sentimentos, um excesso de cicatrizes inflamadas, tantos machucados ainda abertos... Você não sabe se pode se curar, se existe um remédio, se um dia tudo vai se encaixar...
É um turbilhão de coisas para um coração tão pequeno, a sensação é que a qualquer momento ele vai explodir, você vai explodir. A sensação é que você vai desabar e não sabe se terá forças o suficiente para levantar novamente, outra vez, levantar uma vez mais...


Me encanta quando os bebês estão dormindo e de repente acordam, me procuram com os olhos e ao me ver voltam a fechar os olhos e dormir imediatamente... Como se pensassem: "Estou seguro, posso descansar.".
Queria ter essa segurança, queria poder avistar alguém e pensar: "Eu posso descansar, não estou sozinha."
O que frustra é que eu não tenho esse alguém, eu não posso descansar, eu dependo de mim, eu dependo dos meus sentimentos e eles estão esgotados, não estão seguros. Minha estrutura está abalada e é a única que eu tenho... Onde vou me apoiar para não cair? Como descansar sabendo que a qualquer momento tudo pode desabar? Como vou poder confiar em mim?


“Admito que machucou, que doeu, que me sufocou. Admito que eu não sabia pra onde correr. Admito que me consumiu, que me corroeu, que me despedaçou. Mas também admito me fez olhar pra frente e entender que tudo nessa vida tem uma razão, e que se você se machuca muito, começa a não doer tanto.”
 — Tati Bernardi.


terça-feira, 6 de maio de 2014

Você chegou em um momento difícil para mim. Onde estava difícil eu enxergar algum motivo realmente bom para sorrir... em um momento onde não consigo desabafar verdadeiramente com ninguém. Sabe, lamentei quando soube que você chegaria nesse momento... eu queria estar inteira para te receber, queria estar radiante de alegria... sim, eu estava feliz em saber que você iria chegar, mas meus pensamentos as vezes dispersava.
Porém, todas essas minhas preocupações foram por água abaixo quando vi sua fotinho. Te ver foi meu ponto de paz. Te ver me fez dar aquele sorriso verdadeiro que eu estava esperando. Te ver me deu motivos. E tudo isso em somente ver sua foto... Imagina o quanto você vai me dar quando eu te pegar no colo pela primeira vez? Muito, com toda certeza. Eu te amo meu pequenininho. Eu te amo meu pontinho de paz. ♡


sexta-feira, 2 de maio de 2014

"Meu jeito rude e meu olhar tão duro.
É grade, é cerca, é teatro, é meu muro!
Assim me protejo dos que anseiam minhas lágrimas.
E filtro os que merecem meu sorriso…"

 Autor Desconhecido


terça-feira, 4 de março de 2014

Por que?

Não estou mais em uma ponte... Parece que agora me encontro em um lugar escuro onde procuro várias respostas, onde procuro pelo menos uma porta... Mas parece que quanto mais eu tento mais me aprofundo nessa escuridão que mais parece um labirinto. Quero uma resposta que me leve a você... Por que? Por que? E por que? São como um eco nos meus pensamentos... Por que com você? Por que com a gente? Por que com nossa família? Por que me deixou? Por que não aparece nem em sonhos? Será que te afastei? Será que não demonstrei o suficiente o quanto eu precisava de você? Será que você não vê o quanto eu ainda preciso de você? Onde será que você está? Será que não me vê? Será que você também não vê o quanto sou destroçada por dentro? Será que você não vê que nunca mais fui inteira... Que naquele dia foi enterrado com você a maior parte de mim? Será que você também não enxerga a dor por trás dos meus sorrisos? Será que você também não percebe que quando eu mais dou risada é quando eu estou tentando disfarçar a dor me sufocando? Será que fiz mal a você todas aquelas vezes quando criança que chorei pedindo pra você voltar? Será que fiz mal quando usei a fantasia como refúgio? Será que disfarcei bem demais a ponto de fazer você acreditar que me esqueci de você? Será que em algum momento eu realmente me esqueci de você? Por que? Por que não te sinto? Por que não sonho com você? Por que todas as vezes que tento falar com você não consigo sair dos "Por que?"?..

De mim para mim

O que aconteceu com você? Em que momento você começou a sorrir sem deixar o sorriso chegar aos olhos? Quando foi que você construiu esse muro entre você e o mundo? O que se passava na sua cabecinha infantil quando começou a pensar de forma adulta? Você era uma criança, era para os seus sentimentos terem sido transparentes... Era para você ter chorado, esperniado para alguém te consolar... Você era apenas uma criança, merecia um colo... Mas não, você preferiu se esconder dentro de si, preferiu usar máscaras para não deixar os outros preocupados, preferiu sofrer calada, chorar escondida, ver seu coração sendo estilhaçado sem ao menos dizer uma palavra em voz alta. Não era para ter sido assim... Se tivesse sido diferente você já teria superado, ao menos conseguiria falar sobre isso sem sentir seu coração sendo massacrado... Como se cutucassem uma ferida que estava cicatrizando, mas que por baixo ainda está inflamada.

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014


Esse nó em minha garganta, essa respiração controlada, cuidadosa... Como se corresse o risco de tudo desmoronar caso respire muito forte... Desmoronar em lágrimas, em soluços, em gemidos... Olhar ao redor e não encontrar alguém com quem contar, alguém que não seja apenas curioso por saber da sua vida, alguém que realmente se importa com você, que se importa com o que sente... Nesses dias eu só queria me desligar, sumir por um tempo, deixar de existir por uns minutos...

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

"Se depender de mim, nunca ficarei plenamente madura... Nem nas ideias, nem no estilo. Mas sempre verde, incompleta... experimental..."

 Gilberto Freire
Têm coisas que me deixam tão mal... Me deixam agoniada, sufocada, triste, e sei lá mais o que... Hoje de repente veio em minha mente uma cena de quando eu tinha 9/10 anos... Quando eu queria estar entre os que me amavam e não podia... Lembro que estávamos todos brincando e com um sorriso eu dizia que ia ao banheiro, ao chegar no banheiro eu chorava como ninguém, era um choro que sufocava, um choro que fazia o nó na garganta doer... Depois de poucos minutos eu lavava o rosto, respirava fundo, abanava os olhos pra sair o vermelho e saía do banheiro sorrindo como se estivesse tudo bem... Eu repetia isso várias vezes ao dia, durante muitos dias... Eu tinha apenas 9/10 anos, mesmo com essa pouca idade eu já não chorava na frente dos outros... Aprendi desde cedo a usar essa máscara que não permite que os outros vejam como eu estou por dentro... Eu era apenas uma criança e consegui superar isso... Então hoje me perguntei: 'Você realmente vai deixar que essa pequena situação te faça mal?' E minha resposta foi 'não'... Superei tantas coisas... Sei que hoje estou remendada, cheia de curativos e costuras... Fui quebrada, estilhaçada, ferida, me mutilaram... Mas não me acabei, ainda sonho... Ainda sou capaz de dar sorrisos sinceros, ainda sou capaz de acreditar de novo, de novo e de novo... Não posso deixar as pequenas coisas me abalarem.