quarta-feira, 25 de junho de 2014

Felizes são aqueles que me conheceram na minha inocência. Que me conheceram quando eu confiava com todo meu ser fácil demais, rápido demais. Foram eles que começaram a me transformar... Eles deram o indício de como eu estava errada, de como esse mundo não é tão colorido.
Fui quebrada uma vez, me reconstruí... Fui quebrada mais uma vez, me reconstruí novamente, com um pouco mais de dificuldade, mas me reconstruí... Fui quebrada outra e mais outras vezes, em cada uma dessas vezes um pedacinho meu ficava perdido nessas reconstruções, até eu estar com muitos buracos abertos, reconstruções cada vez mais imperfeitas. 
Hoje não resta muito de mim, e hoje já não confio totalmente. Sei que às vezes acabo sendo injusta com as pessoas sinceras que querem estar ao meu lado por inteiro. Mas como eu posso me doar novamente? Como confiar e se abrir quando todas as vezes que você acreditou ser de verdade, era apenas mais uma armadilha para fazer você cair novamente?
Não aguento mais nada... Estou frágil, todas essas reconstruções fizeram com que eu me tornasse imperfeita... Hoje apenas um esbarrão é o suficiente para me desmoronar. Os meus cacos não aguentam mais nada.
Então não me culpe se já não me doo, se já não me entrego... Eu simplesmente não consigo. É minha autodefesa... 
Infelizmente, os atuais, ficaram com os restos de mim. 


segunda-feira, 23 de junho de 2014

Lendo uma parte de HP agora me bateu uma dor tão forte... aquela dor que me sufoca e só começa a aliviar quando eu coloco em palavras.
Mais uma vez a dor da sua perda me bateu como a um punhal no coração... 
No livro se passava a parte que todos estão ao lado do HP em um momento difícil e lhe dão uma poção para ele "dormir sem sonhar"... E mais uma vez começo a me questionar porque foi que eu me fiz de forte? Era para eu ter deixado as pessoas cuidarem de mim... era para eu ter deixado eles perceberem como não havia um pedaço inteiro dentro de mim, era para eles terem visto meus cacos... Talvez eu tivesse me curado, haveria cicatrizes, mas elas seriam cicatrizes e não machucados tão inflamados como esses de agora. 
Aqueles gritos da minha irmã... hoje eu compreendo. E hoje eles me assombram, o que não acontecia quando eu era pequena demais para entender o que eles significavam. Era para eles terem dado a poção de "dormir sem sonhar" para ela... Hoje eu não sei o estrago que isso causou nela e tenho medo de perguntar. Não sei lidar com a minha dor... não sei se saberei lidar com a dor dela também. Na verdade, sei que a dor dela vai me atingir bem mais que a minha... não vou saber sobreviver sabendo da situação emocional da minha irmã. Sei que é algo que vai me assombrar para sempre. No momento, prefiro me agarrar ao fato dela ser bem mais forte que eu, prefiro me agarrar à ideia de que ela tem mais estrutura que eu.
Enfim... me desculpa mais uma vez. Não consigo não me sentir culpada toda vez que tenho essa crise de choro e sufocamento. Quero o seu bem e me mata só de imaginar que eu lhe causo algum mal em não ter superado.
Eu te amo... e como não me sentir mais sensibilizada agora que não estará aqui para ver a nossa pequena Jessica realizar o seu sonho? Sei que isso a atinge... e isso me mata mais um pouco. Enfim... te amo, te amo, te amo. Mais que a mim. ♥

sábado, 21 de junho de 2014

Já vi fogo e terremotos
Vento forte que passou
Já vivi tantos perigos
Mas tua voz me acalmou...
Tu dás ordem às estrelas
E ao mar os seus limites
Eu me sinto tão seguro
No teu colo, ó, altíssimo ♪


quinta-feira, 19 de junho de 2014

"Se a graça é um oceano, estamos afogando... 
O céu se une à terra como um beijo apaixonado 
Meu coração dispara em meu peito acelerado 
Não tenho tempo pra perder com ressentimentos 
Quando penso que Ele ME AMA." ♡


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Fico encantada em perceber o quanto Meu Deus cuida de mim...
Como Ele sempre coloca as coisas certas,
nos momentos certos, nos lugares certos...
Eu sei que eu não mereço tanto, sou grata pela Sua graça, Papaizinho.
Obrigada por me dar forças.
Obrigada por me ajudar a levantar cada vez que eu caio. 
Obrigada por não me deixar desanimar por muito tempo.
Obrigada por me fazer acreditar.
Obrigada por me permitir sonhar.
Obrigada por sempre estar ao meu lado. 
Obrigada simplesmente por não me deixar desistir.