sexta-feira, 22 de abril de 2016

Escrevi a reflexão abaixo em 21/05/2014 e acabou ficando perdida nos meus rascunhos. Mas não é que ela se encaixa perfeitamente ao dia de hoje?! Sim, infelizmente. Então vai:

Às vezes me dou conta do quanto sou ingênua, iludida, ou sei lá o que... às vezes me dou conta de como sou boba, de como meus sentimentos são intensos e de como isso me torna uma tola...
Preciso me reconstruir, preciso reconstruir meu muro, preciso reconstruir minha barreira. Eu nem tinha me dado conta que ela havia caído. Eu nem tinha me dado conta do quanto estou vulnerável.
Preciso urgentemente fazer uma reforma dentro de mim, preciso urgentemente reerguer minha proteção.






quinta-feira, 21 de abril de 2016

Em que momento eu me distraí? Em qual momento baixei a guarda? Como pude ficar tão desatenta? Eu não devia ter perdido a atenção... Agora invadiram o meu castelo, colocaram o muro abaixo... Novamente estou vendo meu mundo desabar. Como pude ser tão desatenta? Agora quem me ajudará a colocar tudo em ordem? Terei que reconstruir tudo sozinha. Terei que me reconstruir. Reconstruir muros mais fortes, nada de baixar a guarda, nada de invasores na minha vida...




Quando acho que me curei. Quando acho que finalmente posso tirar os curativos, abrir as cortinas, abrir os portões... Quando estou quase vendo a luz do dia, quase... de repente me curvo com a dor, perco a respiração e a escuridão fica tão sombria... Tento voltar para a segurança do meu castelo, tateando o ar procurando me encontrar nesse breu que desceu sobre meu mundo. E como se tudo já não fosse assustador, aquela pergunta ecoa como um grito na minha cabeça: "- POR QUE????"