segunda-feira, 21 de julho de 2014

Meu mundo...

Ah! Meu mundo. Meu e somente meu. Ninguém entra, ninguém toca, ninguém vê. Quando sinto que alguém quer invadi-lo eu ergo muros, coloco cercas. É meu habitat particular. Porém, algumas poucas vezes, eu dou pequenos fragmentos desse meu mundo para alguém... eu o dou de forma discreta, o dou como daria algo muito frágil. Mas nem sempre as pessoas percebem a importância daquele momento. Nem sempre percebem que estou dando algo especial para mim. Nem sempre dão valor àquilo que é TUDO para mim. Então eu tomo. Pego de volta aquilo que eu estava prestes a dar. Tranco as portas novamente. O mundo é meu. E se não soube dar valor ao pouco que dei, então não merece conhecer o muito que poderia dar. Não merece fazer parte do meu mundo. O meu mundo tão MEU.


Nenhum comentário:

Postar um comentário